Algumas Igrejas da Cidade da Bahia... [5]

sábado, 10 de abril de 2010 0 comentários

Outras cinco belas igrejas...



Igreja da Lapinha



A paróquia da Lapinha origina-se da construção de uma capela em estilo colonial gótico, construída pela Irmandade Nossa Senhora da Lapa, com a ajuda de Pe. José Barbosa da França Corte Real.

Em 1912, os Agostinianos, por precisarem de uma igreja própria, compraram uma casa próxima à capelinha e aí formaram sua Comunidade. Em 1913, D. Jerônimo Tomé da Silva, então arcebispo da Bahia, entrega à ordem dos Agostinianos a administração da referida capela.

D. Francisco Vicente Viana conta que estando a capelinha bastante estragada, resolveram os Agostinianos reformá-la e ampliá-la. Isso aconteceu em 1925, sendo a cerimônia de colocação da primeira pedra no dia 18 de junho com a presença de D. Augusto Álvaro, Bispo Primaz, e várias autoridades estaduais e municipais.

Frei Leão Uchoa, responsável pela reforma, além de optar pelo estilo Morisco ou Mousárabe, ampliou suas dimensões para 28m de frente e 14m de largura. A nova igreja foi ricamente decorada com mosaicos vindos da Espanha, paredes e teto ganharam auto-relevos em gesso com inúmeras e variadas formas geométricas e desenhos mouros. Na parte superior, pinturas de autoria de Frei Manoel Flores, representando passagens do Antigo e Novo Testamentos. A nova igreja foi então inaugurada em 14 de abril de 1930. [...]

Em 1958 inicia-se mais uma reforma na igreja, concluída em 1970 e em 09 de junho de 1972 [...].



Igreja São Pedro dos Clérigos



Construída no início do século XIX, a Igreja de São Pedro dos Clérigos apresenta planta típica do começo do século XVIII, com corredores laterais e tribunas superpostas. O frontispício é em estilo rococó tardio e a decoração interior apresenta uma transição entre o rococó e o neoclássico, com grande painel no teto, além de altar-mor.




Igreja e Convento de Nossa Senhora da Lapa


Edifício do século XVIII, de linhas simples, construído no lugar da antiga Capelinha. Destacam-se, no conjunto, o mirante do convento e a bela portada em pedra de Lioz. O edifício teve importância histórica na Independência da Bahia, ali morreu Joana Angélica, madre baiana que lutou duramente contra a invasão portuguesa na Bahia. Só é permitida visita à Igreja, durante o horário da missa.




Igreja Manuelina D’Ajuda


A Igreja de N Senhora da Ajuda, de Salvador tem exterior neo-manuelino. Substituiu a antiga igreja colonial do mesmo nome que ficava próxima, demolida nos anos 10, para alargamento da Rua Chile. Contém o púlpito onde pregava no século XVII o Padre Antonio Vieira.



Igreja de Nossa Senhora do Boqueirão



A Igreja de Nossa Senhora do Boqueirão, cuja construção remonta ao início do século 18, está localizada no topo da encosta e falha geológica de 70 metros de altura, que divide a Cidade Alta e Baixa, no Centro Histórico de Salvador (CHS). Tombada como ‘Patrimônio Nacional’ desde 1980, a igreja fica no charmoso bairro de Santo Antônio Além do Carmo, hoje um dos locais mais badalados espaços do CHS e com metro quadrado mais valorizado da capital baiana.

A Igreja da Ordem Terceira da Conceição do Boqueirão começou a ser construída no inicio do século XVIII, em 1726. Para tanto, foi feito um requerimento ao Vice-Rei Vasco Fernandes César de Menezes em nome dos “homens pardos”, que conseguiram a permissão das terras de uma antiga trincheira para a sua edificação. A Igreja do Boqueirão se assemelha à Igreja do Rosário dos Pretos na modenatura do frontispício, nas torres em bulbo e no frontão rococó revestido de azulejos brancos. Trata-se de igreja típica de Irmandade de Ordem Terceira, que se disseminou largamente na Bahia do século XVIII, com rica e bem ornamentada nave com forro pintado, sacristia bem implantada e artisticamente decorada. A concepção da decoração interna do Boqueirão é neoclássica em talha dourada de fatura entre1836 e 1837, executadas por Joaquim F. de Matos e Antônio de S. Santa Rosa. O forro da nave em perspectiva ilusionista barroca, de inspiração italiana, é atribuído a aluno de José Joaquim da Rocha.



Fontes: Paróquia da Lapinha, Bahia, Skyscrapercity, Agecom Ba.


0 comentários:

 

©Copyright 2011 Porque Tudo Muda... | TNB