Algumas Igrejas da Cidade da Bahia... [6]

sábado, 29 de maio de 2010 1 comentários

Mais cinco belíssimas igrejas:



Igreja e convento de N. S. da Soledade


Igreja e convento de N. S. da Soledade situados no alto da ladeira da Soledade, o Convento e Igreja formam com os sobrados vizinhos (Séc. XIX) um dos mais belos e homogêneos conjuntos urbanos de Salvador. [...]


A primitiva ermida de N. S. da Soledade foi anexada, no século XVIII, um recolhimento para mulheres, desenvolvido em torno de um claustro retangular. O convento possui sub-solo, dois pavimentos sobre a rua e mirante com mais três pisos. Além do claustro, possui pátio secundário de forma alongada e vários apêndices. A igreja apresenta dois estreitos corredores ao longo da nave e uma sacristia transversal muito exígua. Possui arcas de jacarandá na sacristia e grande quantidade de alfaias de prata cinzelada, dentre as quais se destacam crucifixo, custódia, sacras, estante e naveta.
Construção convencional desenvolvida em torno de um claustro retangular com igreja ocupando o "quarto" esquerdo. O convento apresenta um mirante, elemento encontrado em outros monastérios baianos de freiras do século XVIII, como Desterro e Lapa. [...]


A igreja apresenta nave única e corredores laterais conduzindo a uma sacristia transversal. Embora derive da planta típica das igrejas baianas do começo do século XVIII, difere destas por não possuir tribunas e ter a torre recuada com relação ao plano da fachada, disposição adotada com freqüência nos conventos franciscanos do Nordeste. Embora sua torre seja original, a fachada rococó tardia é provavelmente do século passado. A fachada do Convento foi modificada neste século.



Igreja da Ordem Terceira de São Domingos


Igreja da Ordem Terceira de São Domingos: iniciada em 1731 e concluída seis anos depois, tem na fachada estilo rococó e talha atual neoclássica. A planta é típica das igrejas do início do século 18, com corredores laterais e tribunas superpostas. O teto da nave é em concepção ilusionista e os painéis do Salão Nobre são atribuídos a José Joaquim da Rocha, sendo os azulejos da Capela-Mor retratos de São Domingos.



Igreja de Nossa Senhora da Penha

A igreja de Nossa Senhora da Penha em frente ao mar calmo de Itapagipe, reflete na sua fachada branca os tons dourados do pôr-do-sol. Sobre a capela-mor e a nave, há pinturas ilusionistas de inspiração italiana e execução local, de José Joaquim da Rocha. A sacristia é forrada por azulejos de 1861, sobre os quais descansa um belo lavabo em mármore.




Igreja da Misericórdia

A Igreja da Misericórdia, recém-reaberta (estava fechada desde 2001), a igreja foi construída em alvenaria de pedra e cantaria nos idos de 1654. Embora pequena, tem importância histórica incontestável, integrando o patrimônio da Santa Casa de Misericórdia, a primeira do Brasil. Destaque para os corredores laterais superpostos por tribunas e para as peças de azulejaria que reproduzem as procissões do Fogaréu e dos Ossos. José Joaquim da Rocha, importante artista do período colonial, assina as pinturas do teto da sacristia.


Igreja de Santo Antônio da Barra


A igreja de Santo Antônio da Barra construída no final do século XVI destaca-se por traços arquitetônicos clássicos. A imagem de Santo Antonio foi esculpida em tamanho natural pelo famoso artista Cândido Alves de Souza. Fica situada sobre um morro, o que garante vista privilegiada da Baía de Todos os Santos.

É bom saber: às terças-feiras abre para missas especiais em homenagem a Santo Antônio, quando costuma lotar de pessoas em busca de pães doados pelos fiéis.


Fontes: Guia do Ócio, Folha UOL, Salvador Cultura Todo Dia, Skyscrapercity

1 comentários:

  • Luck disse...

    Se essa de Stº Antônio for a que estou pensando, fica num local muito bonito mesmo e ainda conta com um centro para retiros situado a seu lado. E, passa lá no Frango que tem algo legal. :D

 

©Copyright 2011 Porque Tudo Muda... | TNB