Eu vos declaro...

terça-feira, 9 de abril de 2013 0 comentários

Estou casado. Este pensamento sobreveio à mente dele horas depois da euforia da cerimônia religiosa, da recepção e da despedida dos amigos. Ali, onde foi programada sua noite de núpcias, ele rememorava suas inquietudes, suas desilusões, suas dúvidas acerca de si mesmo e para com o mundo.
Desde pequeno, tivera uma educação rígida e toda vez que entrava em contato com outras crianças, sentia-se deslocado diante delas. Havia também uma timidez persistente, que o levava a procurar lugares onde poderia estar mais só, que o abstivesses de ter que se relacionar com pessoas novas. Essa timidez e uma criação, às vezes demasiada rígida, acompanhou-o até a faculdade.
Na Academia, depois de um tempo, ele tornou-se menos “bicho do mato”; no entanto, não era um dos mais populares de sua universidade. Na verdade, ele tinha medo de que as pessoas fossem falsas com ele, o machucasse (talvez por isso o afastamento e o estranhamento). Difícil explicar é como ele se aproximou de uma garota e conquistou como namorada, aliás, este foi seu primeiro contato com outro ser humano. Logo decidiu casar, apaixonou-se por ela e decidiu que ela seria a mãe de seus filhos.
Ele só queria ser feliz e viver tranquilamente e o dia do casamento chegou e ali estava ele, em frente a ela, em sua noite de núpcias, desconcertado naquele quarto de hotel, imaginando mil maneiras de como tocar o corpo dela e torná-la efetivamente mãe de seus futuros filhos.

0 comentários:

 

©Copyright 2011 Porque Tudo Muda... | TNB